sexta-feira, 11 de agosto de 2006

A resposta ao momento "piroso" de ontem

A emoção traz-me lágrimas ao ler daquilo que sei, do teu amor por mim.
Penso que daquilo que sou, parte, ou melhor, grande parte devo-o a ti.
Á tua presença, ás brincadeiras, ao cuidado, ao carinho, á preocupação de proteger quem se ama, quem se sente responsável.
Levo-me a um passado sempre presente, ao lembrar o dia que me vi sem ti, numa casa para mim vazia. Também nunca te disse, mas no momento que te apercebi longe dali, senti uma solidão aterradora, perdi-me.
Soube nesse momento, ao olhar a porta de onde todos os dias te espreitei a dormir, antes de sair para a escola, e que, sem tu saberes roubava um bocadinho de perfume, da mesma porta de onde me chamavas como ninguém “Raite”, e com todo o meu carinho te preparava os melhores pequenos almoços, ao olhar essa mesma porta que nos fechou tantas vezes para o mundo, soube que nunca voltaríamos a “brincar” assim.
Perdi-te naquele instante para uma vida que (agora se comprova) te trouxe o que tanto procuraste, procurámos os dois, a paz e felicidade de uma vida...merecidas!
Ainda hoje sinto essa saudade, do que fomos, de como cresci ao perto de ti, do que aprendi meu irmão, do orgulho daquilo que me ensinaste, de como me orientaste para ser a mulher que sou hoje.
Sabemos no entanto, que mesmo já com filhos e estendendo-nos a outras famílias, depois de sacrifícios e entregas, distâncias e contratempos, continuaremos a partilhar a música, os poemas, as palavras soltas, os livros, os filmes, a sensibilidade que nos guia unindo-nos, garantindo que estarás sempre em mim, numa saudade infinita, saudável, e orgulhosa de tudo o que temos, os dois, mano.
Na inocência de um olhar eternamente cúmplice que será sempre orgulhosamente teu.
Quero assim, ter-te perto, sem perderes nunca nada. Sem eu nunca perder nada teu.
Por ver em ti descobri em mim o melhor de ser humano, por ver em ti descubro em mim a sensibilidade de se amar, de saber sorrir, a cada pôr-do-sol, a cada luar, ao simples acordar, a cada momento que ouço a tua voz. Linda.
Espreitar-te-ei todos os dias, no bom dia de sempre.
Sou tua mana...que orgulho.

5 comentários:

P disse...

Pronto. :-) Beijinhos do mano.

Olinda disse...

Que raio de pirosisse vem a ser isto? ;)
Como disse o mano mais piroso que conheço: Pronto heehhehe...
Gande orgulho heim Rita ;)
Beijos

Tiago Franco disse...

Tão bonito :)

Bruno Alexandre disse...

quem fala assim, não é gago de certeza. Muito Lindo. Excelente. Tanto Amor. Momento de grande comoção, sem dúvida Rita! Dois Maninhos mt mt á frente. Q nada nem ninguém vos separe. Cumprimentos aos dois.

Anónimo disse...

MEC is really back.

http://miguelestevescardoso-mec.blogspot.com/